Museu da França recebe da filha de Picasso a doação de nove obras do pai

Na segunda-feira (20), nove obras do pintor espanhol Pablo Picasso (1881-1973) foram doadas à França por sua filha Maya, a terceira cessão de quadros do artista desde a criação do Museu Picasso em Paris. Entre as obras se destacam um retrato do pai de Picasso, de 1895, e “Menino com pirulito sentado embaixo de uma cadeira”, um quadro pintado pouco depois de “Guernica”, em 1938.

“É uma doação excepcional”, a primeira desde 1990, declarou a ministra da Cultura francesa, Roselyne Bachelot, durante a cerimônia de doação no museu parisiense. As obras contribuem para manter o Museu Picasso de Paris como o maior depositário da obra do artista espanhol, com mais de 5 mil peças, incluindo 300 pinturas, além de 200 mil documentos e objetos.

A doação serve para que os herdeiros da família Picasso evitem grandes impostos por questões de sucessão. Maya Ruiz Picasso (86 anos), filha de Picasso e de Marie-Thérèse Walter, foi representada, por motivos de saúde, na cerimônia de doação pelos filhos Diana e Olivier. O evento também teve a presença do ministro da Economia da França, Bruno Le Maire.

Maya foi pintada com frequência por seu pai quando era criança, nos anos sombrios da II Guerra Mundial e da ocupação alemã. “A França foi a escolha do meu pai e eu nunca pensei em partir para outro lugar”, explicou a filha de Picasso em uma carta lida por seu filho Olivier. “O que seria da França sem o espanhol Pablo Picasso?” perguntou o ministro da Economia.

Por ordem cronológica, a primeira obra é “Dom José Ruiz” (1895), um quadro do início da carreira do artista. Picasso pintou seu pai de perfil, com uma delicada paleta de marrons. Depois, aparece “Estudio para una intérprete de mandolina” (1932), uma obra mista, óleo e carvão. “Menino com pirulito sentado embaixo de uma cadeira” (1938) foi a obra escolhida para ser revelada à imprensa e aos convidados.

Foto: Come Sittler/Pool/AFP