Veja quais são as 20 prefeituras mais ricas do Pará em 2022

Com base em dados do IBGE e também em prestações de contas de prefeituras e câmaras municipais entregues a órgãos de controle externo como o Tesouro Nacional e o Tribunal de Contas dos Municípios do Pará, ao longo de 2022 as 144 prefeituras do estado do Pará arrecadaram uma fortuna estimada em cerca de R$ 30 bilhões.

E as 20 mais ricas do estado foram responsáveis por movimentar R$ 58 de cada R$ 100 que ingressaram nos cofres públicos dos municípios. Em valores líquidos, as administrações mais abastadas ajuntaram R$ 17,528 bilhões,7 R$ 2 bilhões a mais que os R$ 15,482 bilhões movimentados em 2021.

O estado do Pará já conta com meia dúzia de prefeituras bilionárias, com a chegada das administrações de Ananindeua e Santarém, as quais, pela primeira vez, superaram a cifra de R$ 1 bilhão em receita líquida, aquela da qual já estão efetuadas deduções legais.

O pódio é ocupado pela Prefeitura de Belém, que, com R$ 4,035 bilhões líquidos, enriqueceu cerca de R$ 690 milhões em relação a 2021. A administração de Edmilson Rodrigues da capital ficou 20,6% mais rica de um ano para outro, seu melhor desempenho financeiro dos últimos cinco anos.

A segunda posição é da Prefeitura de Parauapebas, que ficou cerca de R$ 318 milhões mais pobre, devido à baixa na arrecadação de royalties de mineração, mesma razão que fez com que a receita da Prefeitura de Canaã dos Carajás, terceira no ranking, também retrocedesse R$ 71,5 milhões.

O contrário disso foi percebido na Prefeitura de Marabá, que enriqueceu aproximadamente R$ 133 milhões, tornando-se a administração mais próspera do sudeste do Pará no ano passado.

A lista das potências conta ainda com a presença de Ananindeua e Santarém, com R$ 1,026 bilhão e R$ 1,022 bilhão, respectivamente, engrossando a presença do Pará no pelotão das prefeituras mais ricas do Brasil.

Foto: Agência Belém