Home BACANA NEWS Segundo denúncia, Guarda Municipal trabalha com colete à prova de balas vencido e falta de estrutura

Segundo denúncia, Guarda Municipal trabalha com colete à prova de balas vencido e falta de estrutura

Segundo denúncia, Guarda Municipal trabalha com colete à prova de balas vencido e falta de estrutura

Viaturas sem manutenção, coletes à prova de bala vencidos e falta de estrutura. Segundo denúncias, é assim que mais de mil agentes da Guarda Municipal de Belém trabalham na capital paraense. A situação crítica coloca em risco a vida da população e dos guardas municipais.

As imediações do Mercado de São Bras, em Belém, inaugurado em 1911, são muito perigosas segundo a população que circula na área. A vendedora Graça Cardoso denuncia que o posto da Guarda Municipal geralmente fica fechado e só à tarde os guardas vão até lá. Além da população, que se sente desprotegida, o patrimônio público fica prejudicado pela ação de vândalos, que picham e depredam o mercado.

Ao todo, 1.179 servidores atuam como guardas segundo o sindicato da categoria. Para dar suporte são usadas 15 motos e pouco mais de 30 viaturas, um número insuficiente para o tamanho da cidade de Belém. “Hoje a lei determina pelo menos dois mil homens”, diz Geraldo Sena, presidente do sindicato. Vídeos mostram viaturas paradas no pátio da corporação, no Tapanã.

“Hoje, a maior dificuldade que a gente enfrenta é a questão do armamento, que muitos guardas estão tirando serviço desarmados, e tem a questão da blindagem, que foi retirada. Antigamente nós tínhamos blindagem cautelada para a segurança do servidor. As viaturas estão sucateadas e o servidor trabalha totalmente desmotivado por conta da questão salarial. Estamos há três anos sem reajuste”, diz um guarda que não quer se identificar.

Com todos esses problemas, os moradores sofrem. “A gente não pode andar com celular e bolsa”, diz a dona de casa Iraci Figueiredo.

Em nota, a Guarda Municipal de Belém informou que não há falta de armamento em serviço, e que muitos deles foram adquiridos recentemente.

Sobre os coletes, todos estão dentro do prazo de validade e os vencidos são recolhidos e encaminhados para o Exército Brasileiro e novos são comprados.

A guarda disse ainda que a frota da corporação está sendo renovada, com a chegada prevista para o mês de fevereiro de 12 viaturas e 9 motos.

Em relação ao posto de São Brás, a guarda informou que ele passa por monitoramento 24 horas com rondas motorizadas.

Já sobre o aumento no efetivo, a instituição informou que já foi solicitado para a Secretaria Municipal de Administração a elaboração de concurso público.

Fonte: G1.com