Saiba quais são as espécies de peixes que estão mais baratas em Belém

Pelo terceiro mês consecutivo, os preços de diversas espécies de pescado ficaram mais acessíveis aos consumidores em Belém, destacando-se a gurijuba, que registrou queda de 10,31% no valor de venda final.

Os dados são de uma pesquisa realizada em Belém pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos no Pará (Dieese/PA), em colaboração com a Secretaria Municipal de Economia (Secon).

As demais espécies que tiveram redução de preço, do maior para o menor, estão: pescada amarela, com queda de 8,47%; em seguida a corvina com uma redução de 7,82; o mapará, com uma baixa de 6,66%.

Já o cação apresentou um recuo de 5,32%; na sequência aparece a pratiqueira, 4,79% mais barata; o pacu aparece com menos 4,04%; por fim, peixe pedra, com 3,91% a menos. Em contrapartida, outras dez espécies pesquisadas pelo Dieese/PA apresentaram aumento de preço no último mês.

A pirapema teve um aumento expressivo de 14,47%, seguida pelo tamuatá (+10,37%), tucunaré (8,06%), sarda (7,22%), surubim (6,93%), camurim (5,44%), pescada gó (5,37%), bagre (4,69%), serra (4,41%) e tambaqui (2,31%).

Apesar da tendência de queda nos preços da pescada nos últimos três meses, é importante ressaltar que, ao analisar o período de junho de 2022 a junho de 2023, ocorreram aumentos consecutivos de preços na maioria das espécies, ultrapassando, em alguns casos, a inflação registrada em 3%, com base no Índice de Preços ao Consumidor.

Foto: Ascom Agência Distrital Mosqueiro