Saiba quais são as 4 profissões do futuro que parecem ter vindo da ficção

Vêm demandando novas habilidades, funções e dando origem, inclusive, a profissões nunca antes vistas, o surgimento e a expansão de conceitos e tecnologias relacionadas ao metaverso e à Web3.  Por meio de um estudo intitulado “O Futuro das Profissões”, a edtech Descomplica mapeou 22 ocupações possíveis para o futuro.

Isso diante de um cenário em que tecnologias como metaverso e tendências como saúde mental e bem-estar tornam-se elementos importantes. Segundo Roberta Campos, Diretora de Insights e Foresights na Descomplica, a tecnologia não vai apenas abrir diversas frentes profissionais específicas e relacionadas ao território digital, mas também revolucionar muitas das funções atuais.

“Como profissões ligadas ao metaverso, por exemplo, parte dessas potenciais mudanças são já amplamente visíveis hoje, através por exemplo da crescente comercialização de criptomoedas, mas é uma transformação que ainda vai amadurecer muito”, destaca Roberta.

As 4 profissões possíveis mapeadas pelo estudo com as análises de Roberta Campos são:

Programadores de Metaverso

“É um profissional que precisará de conhecimento em programação 3D, estética, storytelling e design, principalmente para dar conta de uma quantidade cada vez maior de avatares, personas digitais e novas plataformas de imersão.”

Engenheira de criptomoedas

“Um profissional com capacidade técnica em programação, lógica, que saiba trabalhar em grupo e conheça os macetes da área da engenharia. Apesar do boom de criptomoedas, a tecnologia ainda está em sua infância. Existem demandas em muitas áreas, desde a cultura até mesmo na área legal, especialmente quando se considera que as criptomoedas  serão os termos de contrato entre partes. O papel do engenheiro de cripto não é de atuar por conta própria, mas em cruzamento com outras áreas.”

Personal de saúde mental

“Nos últimos 40 anos, tivemos uma revolução na forma como encaramos o exercício físico. De algo associado apenas a atletas para toda a população. Mas não fizemos o mesmo para a saúde mental. Ainda se encara a terapia como algo para tratar doença, e não para a prevenção. O profissional de saúde mental teria um papel diferente do terapeuta, em que ele cuidaria de estimular preventivamente a saúde mental, e não só solucionar um problema (que é algo para terapia).”

Apagador de Passado Digital

“Inspirados pelo filme ‘Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças’, esse profissional será contratado por pessoas precisando ‘sumir’ com assuntos do passado. Em alguns casos, será necessário ter expertise legal para conseguir tirar dados da rede.”

Foto: divulgação