Redução do ICMS a clientes será repassado pela TIM

O presidente da operadora TIM disse que a empresa vai repassar nas próximas semanas a redução de ICMS concedida ao setor de telecomunicações aos preços de pós-pago, enquanto no pré-pago será oferecida uma elevação aos clientes na oferta de gigabytes por plano. A estratégia vem após lei federal, que entrou em vigor em junho, estabelecer um teto para as alíquotas do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) de alguns setores, incluindo telecomunicações.

O diretor presidente da TIM, Alberto Griselli, disse em conferência de resultados com analistas que a empresa escolheu elevar a oferta em gigabytes nos planos pré-pagos, em vez de cortar o preço, para tornar a operação viável financeiramente. Ele afirmou que a medida deve levar a um impacto nas recargas de pré-pago nos próximos trimestres.

A TIM divulgou na noite da véspera queda de 54,1% no lucro do segundo trimestre ante igual período do ano anterior, com maiores despesas ofuscando sólido crescimento da receita. Por volta de 12h59, as ações da TIM caíam 0,88%, tendo recuperado parcialmente perdas que chegaram a até 1,8% mais cedo. O Ibovespa reverteu queda inicial e subia 1%.

Os executivos da TIM disseram que foi enviada na sexta-feira uma contraproposta à agência reguladora do setor, Anatel, com um novo preço para oferta de roaming. O presidente do órgão regulador, Carlos Baigorri, disse em meados de julho à Reuters que a Anatel poderia buscar desfazer a venda dos ativos de telefonia móvel da Oi, negócio no qual a TIM é uma das compradoras, caso um impasse com operadoras sobre a oferta de roaming não fosse resolvido.

Griselli, da TIM, afirmou que teve uma reunião com o presidente da Anatel na semana passada quando foi esclarecido à companhia que o “negócio da Oi não está em discussão”, nas palavras do executivo durante a teleconferência. A oferta de roaming, serviço de telefonia para usuários que estão em áreas onde sua operadora original não possui atuação, pelas compradoras da Oi Móvel – TIM, Telefônica Brasil e Claro – foi definida como contrapartida pelos órgãos reguladores ao negócio, com o objetivo de alimentar a competição no setor.

Foto: divulgação