Quarto estado com maior número de trabalhadores resgatados é o Pará

Dados do Painel de Informações e Estatísticas da Inspeção do Trabalho no Brasil, da Subsecretaria de Inspeção do Trabalho (SIT), vinculado ao Ministério do Trabalho e Previdência, o estado foi 4º estado brasileiro com maior número de trabalhadores resgatados em 2021, com 110 trabalhadores encontrados em condições análogas à de escravo. 

O número representa um aumento em relação aos anos de 2020 e 2019, quando foram resgatados 76 e 66 trabalhadores, respectivamente. Em todo o Brasil, no ano de 2021, foram 1.937 trabalhadores em condições análogas à de escravo, mais que o dobro do que foi registrado em 2020, quando foram resgatadas 936 pessoas e também superior a 2019, quando foram 1.131 registros desse tipo de crime.

Os outros três estados com maior número de resgates foram: Minas Gerais, com 768, Goiás, com 304 e São Paulo com 147 libertos. A fiscalização das condições de trabalho e o resgate de pessoas fica a cargo do Ministério Público do Trabalho (MPT) por meio da Coordenadoria Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conaete), que realiza as forças-tarefa em conjunto com outros órgãos, como a Auditoria Fiscal do Trabalho, o Ministério Público Federal, a Defensoria Pública da União, a Polícia Federal e a Polícia Rodoviária Federal.

O levantamento da Conaet aponta que a quantidade de forças-tarefa no Brasil vem aumentando ano a ano, apesar das restrições impostas recentemente pela pandemia. Em 2019, foram 34 forças-tarefa, em 2020 foram 53, em 2021 foram 160 e nos primeiros meses deste ano já foram cinco operações realizadas.

Foto: Arquivo/Marcello Casal Jr/Agência Brasil