Pelo uso excessivo de cigarro eletrônico, homem de 22 anos tem pulmão perfurado

Após o uso excessivo de vape, um técnico de enfermagem de 22 anos teve seu pulmão perfurado. O caso aconteceu em abril, quando Jonathan Belcher foi internado às pressas no interior do estado da Virgínia, nos Estados Unidos. O jovem acordou uma manhã em sua casa com uma dor terrível atrás do ombro esquerdo, que só piorava a cada respiração curta.

Aterrorizado, Belcher foi levado ao pronto-socorro do hospital, onde foi revelado que seu pulmão havia colapsado, ou pneumotórax, que leva ao vazamento de ar dos pulmões para a cavidade ao redor do órgão. A condição é causada por uma bolha de ar rompida, ou ‘bolha’, que envia ar para o espaço ao redor do pulmão.

Acredita-se que o vaping crônico pode levar à formação de bolhas nos pulmões, enquanto a forte inalação de um vape pode causar a ruptura de uma bolha existente. O ar no espaço pleural aumentou a pressão no pulmão de forma que ele não pudesse se expandir tanto quanto normalmente durante a respiração normal.

Os médicos atribuíram a lesão aos cigarros eletrônicos, que o jovem fazia uso desde os 17 anos. Segundo Belcher, ele vaporizava cerca de 20 cigarros por dia. Para remediar o vazamento e aliviar a pressão no pulmão, os médicos inseriram um tubo torácico para drenar o ar do espaço entre os pulmões e a parede torácica.

Normalmente, o problema se cura sozinho quando o pulmão é reinflado. Mas o buraco no pulmão de Belcher exigiu cirurgia para reparar e parte do órgão teve que ser removido porque havia “morrido” no processo devido à restrição de oxigênio.

Foto: divulgação