No Pará, novos terminais hidroviários melhoram mobilidade de mais de 2 milhões de pessoas

Foto: Pedro Guerreiro/Agência Pará

Às margens do rio Miriti-pitanga, no município de Acará, nordeste paraense, a trabalhadora autônoma Marciana Evangelista, acompanhou de perto as mudanças no acesso aos rios da região ao longo dos anos. “Antigamente era um trapichezinho, de madeira. Agora não, mudou, melhorou, tá mais confortável, deixa a cidade com outro aspecto”, completa. 

Mais de 60 mil moradores da cidade de Acará foram beneficiados com a entrega do novo terminal hidroviário, pelo Governo do Estado, há pouco mais de um mês. Desde o ano de 2019, o Estado já investiu em 27 equipamentos. As estruturas melhoram a mobilidade de mais de 2 milhões de pessoas que dependem do transporte hidroviário no Pará, segundo levantamento da Companhia de Portos e Hidrovias do Pará (CPH). 

“São esforços que mudaram a realidade de pessoas por todo o Estado. São estudantes, pais e mães de família, comerciantes, entre tantos outros trabalhadores, que dependem do transporte aquaviário, totalmente indispensável em algumas regiões”, disse Josenir Nascimento, titular CPH, responsável pela execução das obras. 

Em obras – Ao todo, oito terminais estão em construção no Pará, visando reforçar a malha hidroviária do Estado. Na capital, Belém, outras intervenções urbanas se somam aos esforços e preparando Belém para a COP 30, como um receptivo exclusivo de cruzeiros e o Porto da Nova Tamandaré. As infraestruturas têm padrão estabelecido pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

Por Agência Pará