Musa dos anos 1990 inventou histórias de abuso na infância para ganhar dinheiro, revela doc

Foto: Getty Images

Anna Nicole Smith teria mentido sobre agressões físicas e abusos sexuais que teria sofrido na infância apenas para conquistar mais atenção do público e da mídia, dizem entrevistados de um novo documentário sobre a musa dos anos 1990.

Em ‘Anna Nicole Smith: You Don’t Know Me’, amigos e parentes da atriz e modelo morta em 2007 dão seu ponto de vista sobre quem era a americana longe dos holofotes. Uma das pessoas ouvidas pela produção é Missy, que trabalhou com Anna numa boate de strip entre meados dos anos 1980 e o início dos anos 1990 – ou seja, antes da famosa ascender no show business com um ensaio na Playboy, papéis em filmes como ‘Corra que a Polícia Vem Aí 33 1/3: O Insulto Final’ e o casamento polêmico com bilionário J. Howard Mashall, que era 53 anos mais velho que ela.

Missy, que diz ter sido “a primeira amante mulher” de Anna, afirmou que atriz e modelo se tornou “egoísta” e “sem compaixão” conforme lutava contra a dependência química e ficava obcecada em ganhar dinheiro. “Ela me disse que seria uma modelo famosa. Ela estava convencida de que a única coisa que a atrapalhava eram seus seios”, apontou, segundo o jornal The Sun.

A ex-dançarina também alegou no documentário que, no início de seu relacionamento com Anna, confidenciou a ela que havia sofrido abusos no passado. Porém, posteriormente, Missy viu a parceira se apropriar dessa história em conversas com outras pessoas e mesmo em entrevistas. Numa ocasião, por exemplo, ela teria dito que sua mãe, Virgie, “a algemava na cama por dias e a espancava impiedosamente”.

Já numa conversa com a imprensa, a artista disse que tinha fugido de casa após ser estuprada e espancada várias vezes.

“Fiquei chocada porque sabia que não era a infância dela. Essa era a minha infância – exatamente do jeito que eu havia contado para ela”, disse Missy.

O irmão de Anna, Donald, também reforçou que sua mãe era uma “pessoa doce e amorosa” que nunca abusou de sua irmã. Além disso, um vídeo antigo de Virgie resgatado pelo doc mostra-a lembrando de uma conversa em que a atriz e modelo admitia mentir sobre seu passado.

“Uma vez eu perguntei a ela: ‘Por que você conta essas mentiras?’ E ela disse: ‘Gostaria que você pudesse entender que ganho mais dinheiro contando histórias tristes do que contando boas histórias’”, afirma Virgie no registro.

O guarda-costas Maurice Brighthaupt, conhecido como Big Moe, também diz na nova produção de Ursula Macfarlane que, embora Anna de fato tenha lidado com a dependência química, ela também usava o vício para atair holofotes. Esse teria sido o caso da premiação American Music Awards: ela teria fingido não estar sóbria ao subir ao palco para apresentar o rapper Kanye West.

“Ela falou: ‘Vou fazer algo que todos sempre se lembrarão'”, contou Brighthaupt. “Então ela subiu no palco e parecia chapada; mas Anna sabia como lidar com a multidão. Fora das câmeras, ela estava completamente bem.”

Anna Nicole Smith acabou falecendo em 8 de fevereiro de 2007 em decorrência de uma overdose. Ela tinha 39 anos.

Por MONET