Mobilização nacional ocorreu em Belém em defesa de manutenção de recursos do Sesc e Senac

Uma manifestação contra o corte de 5% da arrecadação do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) para transferir à Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur) foi realizada na avenida Visconde de Souza Franco, em Belém.

Evento fez parte de uma mobilização nacional para pressionar senadores contra trecho da MP 1147/2022 que institui o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (Perse), em que é previsto o corte de verba. O ato reuniu empresários do comércio, diretores, presidentes de sindicatos associados, alunos e colaboradores da Fecomércio, do Sesc e do Senac.

Os municípios de Castanhal, Marabá e Santarém também receberam o evento chamado pelos organizadores de “DIA S”. A retirada de recursos do Sistema S está presente nos artigos 11 e 12 do relatório aprovado na Câmara (PLV 9/2023), ainda no final de abril.

A justificativa, presente no texto, é de que o recurso redirecionado à Embratur será utilizado para custeio e promoção internacional do turismo no Brasil. Para Márcio Takemura, coordenador de relacionamento com o mercado do Senac, o maior impacto será na oferta de cursos gratuitos das instituições. 

“Esse possível corte vai prejudicar a viabilidade de vários cursos gratuitos, afetando a nossa aprendizagem comercial. Não tendo vagas gratuitas, a população mais carente não consegue se qualificar e se reinserir no mercado de trabalho. Então isso é preocupante”, considerou.

Foto: divulgação