Ministério envia pedido à Anvisa para autorizar autoteste de Covid no Brasil

Foto: Cristine Rochol /PMPA

O Ministério da Saúde enviou nesta quinta-feira (13) o pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para autorizar o autoteste de Covid-19 no país. A informação foi confirmada pela GloboNews.

Na nota técnica, a pasta detalha qual será o público-alvo: qualquer indivíduo, sintomático ou assintomático, independentemente de seu estado vacinal ou idade, que tenha interesse em realizar a autotestagem.

O ministério orienta que o autoteste seja utilizado de forma complementar, como estratégia de triagem, e que pessoas que testarem positivo devem fazer o isolamento para prevenção de novas infecções. Além disso, a pasta diz que “a prevenção por vacina e medidas não farmacológicas sejam devidamente recomendadas”.

“O autoteste deve resultar de uma escolha livre e autônoma da pessoa em questão. É importante lembrar que ninguém deve ser forçado a realizar o autoteste”, diz a nota.

Segundo o ministério, o autoteste tem excelente aplicabilidade no contexto epidêmico com o objetivo de:

  • Ampliar oportunidades de testagem para sintomáticos, assintomáticos e possíveis contatos;
  • Realizar testes antes de se reunir em ambientes fechados com outras pessoas;
  • Não sobrecarregar serviços de saúde, que já estão muito além do limite de sua capacidade de atendimento;
  • Testar, isolar, e encaminhar os casos positivos para o Sistema de Saúde (ou tele-atendimento), para a melhor assistência e a quebra da cadeia de transmissão;
  • Sair do isolamento, após resultado negativo e sem sintomas.

O governo reforça que o uso de autoteste pode ser uma excelente estratégia de triagem, “pois devido ao curto tempo para o resultado, pode-se iniciar rapidamente o isolamento dos casos positivos e as ações para interrupção da cadeia de transmissão”.

O Ministério da Saúde também fez recomendações para aprovação do autoteste:

  • Deve apresentar sensibilidade e especificidade satisfatória, conforme parâmetro da OMS
  • As instruções para uso devem contar informações sobre período de incubação do vírus, do métodos e outras necessárias para permitir que a pessoa use de forma adequada
  • O solicitante de registro do teste deve fornecer canal de comunicação para tirar dúvidas dos usuários, 24 horas por dia, 7 dias por semana
  • O produto deve ser fornecido com todos os componentes necessários para a realização do teste

Por Gabriel Tibaldo e Mariana Garcia, GloboNews e g1