Home BACANA NEWS Jarbas Vasconcelos fala sobre os desafios socioambientais do Pará em palestra

Jarbas Vasconcelos fala sobre os desafios socioambientais do Pará em palestra

Jarbas Vasconcelos fala sobre os desafios socioambientais do Pará  em palestra

“Os desafios socioambientais do Pará – um estado da Amazônia” foi o tema da palestra apresentada pelo ex-presidente da seccional da Ordem no Pará e conselheiro federal da OAB nacional, Jarbas Vasconcelos com dezenas de moradores de Abaetetuba. O evento, organizado pela Fundação Herbert Daniel, aconteceu na Última segunda-feira, às 18h, na sede da Câmara Municipal daquela cidade.

O objetivo da palestra é apresentar a ideia desenvolvida pelo palestrante de que “a constitucionalização da desigualdade regional entre norte e sul ou a constitucionalização da colonização interna. Não se trata de tema técnico-jurídico (embora também o seja), mas essencialmente político.”

Diante de uma plateia composta por políticos, parlamentares, educadores, alunos, economistas, advogados, entre outros, Jarbas deixou para reflexão três condições para que o Pará se desenvolva. O primeiro é que o povo tenha a consciência da sua condição de pertencer a um território colonizado pelo centro-sul, com a federação sendo hegemonizada pela representação política dos estados do sul e sudeste.

A outra condição, segundo Vasconcelos é o povo, especialmente, os representantes do povo no parlamento, tomar a decisão de lutar pela sua autonomia federativa, autogoverno e gestão das suas riquezas, estabelecendo uma agenda federativa comum a todos os partidos e movimentos sociais, forte o suficiente para formar e liderar um bloco regional suprapartidário da Amazônia no congresso nacional, com apoio popular e decidido a concorrer com os interesses dominantes do sul.

Por ultimo, afirma Vasconcelos, para que o Pará se desenvolva é fundamental “estabelecer um consenso de medidas administrativas a serem adotadas por todos os governos, independentemente da orientação partidária do governante, e proposições de mudanças na legislação federal e na constituição, capazes de removerem os principais entraves normativos que nos condenam ao atraso econômico, à pobreza e à exclusão social.”

“A iniciativa de debater um projeto de desenvolvimento do estado, primeiro tem o propósito de impedir que se faça populismo com a miséria do povo e o segundo: é necessário pensar grande, ter atitude proativa pra dizer que nós não queremos repactuar o que é nosso.”, esclareceu Vasconcelos.

Nos meses que seguem, Jarbas continuará percorrendo alguns municípios do estado para conversar com a população sobre o desenvolvimento do estado. A próxima parada deverá acontecer em Santarém.

Caravana

Nos últimos meses, Jarbas Vasconcelos, sempre acompanhado de integrantes da Fundação Herbert Daniel e de militantes do Partido Verde – PV – partido ao qual está filiado – iniciaram uma caravana, percorrendo alguns municípios paraenses, a fim de conversar com a população sobre o que pode ser feito para garantir o efetivo desenvolvimento do Pará.

O objetivo dessas reuniões, palestras e debates é o de apresentar à população um projeto suprapartidário para o desenvolvimento do Pará, criado por Jarbas, com o apoio de uma equipe de profissionais de diversas áreas do conhecimento.

Identificado os gargalos que se solidificaram ao longo da história e que impedem, efetivamente, o desenvolvimento do Pará, a proposta – que começou a ser construída em 2010 e com o apoio de diversos técnicos de muitas áreas – passou a ser apresentada agora à sociedade. A primeira delas aconteceu dia 19 deste mês, no hotel Princesa Louça, por meio de uma palestra ministrada para mais de 100 pessoas.

A ideia é que a proposta seja formalizada com a assinatura de um protocolo de ações conjuntas de diversos entes públicos (partidos, federações, instituições, ONG’s, etc) a fim de garantir o avanço socioambiental do estado.

“Nós queremos levar esse debate a diversos municípios e instituições e, ao final de cada um deles, assinar o protocolo – um protocolo de compromisso com a economia e o desenvolvimento do estado. Afinal, não dá mais para continuarmos sendo um estado rico com o povo pobre. Isso precisa mudar. “, finalizou.