Home DESTAQUE Governo da Noruega, uma das donas da Hydro, não quer se meter no problema de Barcarena

Governo da Noruega, uma das donas da Hydro, não quer se meter no problema de Barcarena

Governo da Noruega, uma das donas da Hydro, não quer se meter no problema de Barcarena

vice-ministro de Comércio, Indústria e Pesca da Noruega, Magnus Thue, disse que os “desafios ambientais que ocorreram após as fortes chuvas em Barcarena” e as alegações sobre a refinaria Hydro Alunorte são questões “que deverão ser tratadas entre a Norsk Hydro e as autoridades do Brasil”. (Leia a nota completa no pé da matéria)
A Norsk Hydro é uma empresa multinacional da Noruega, uma produtora de alumínio. Em resposta ao G1 por e-mail, Thue informou que a Hydro é listada na bolsa de valores de Oslo, sendo que 47% dos acionistas são investidores internacionais. O governo da Noruega disse que tem 34,4% das ações, sendo assim dono de um terço da companhia, acionista minoritário e sem envolvimento na gestão operacional da empresa.
“Os desafios ambientais que ocorreram após as fortes chuvas em Barcarena e as alegações de que a refinaria Alunorte poderia ser responsável são questões que devem ser tratadas entre a Norsk Hydro e as autoridades responsáveis do Brasil.”
O vice-ministro também informou que o governo da Noruega foi contatactado pela Norsk Hydro. Segundo ele, uma “série de ações” foram informadas pela empresa.
“A empresa informou uma série de ações, incluindo a realização de estudos e o estabelecimento de uma força-tarefa para levar a frente uma revisão abrangente sobre o assunto. Além disso, a empresa nos informou que estão aderindo às decisões tomadas pelas autoridades do Brasil”, escreveu.

A refinaria da Norsk Hydro atua na região de Barcarena, no nordeste do Pará. No último dia 17 de fevereiro, diante de fortes chuvas na área, o Ministério Público do estado (MPPA) recebeu denúncias de moradores de que a água acumulada em diferentes pontos da cidade estava avermelhada.
Acionado pelo MPPA e pelo Ministério Público Federal, o Insituto Evandro Chagas (IEC) coletou amostras da água e efluentes. O laudo confirmou a contaminhação em diversas áreas de Barcarena devido a um vazamento das barragens da Hydro. A perícia flagrou um duto clandestino que conduzia resíduos poluentes, chegando às comunidades ribeirinhas e também denegrindo o meio ambiente.

A análise do IEC revelou um nível alto de chumbo, que, com o consumo contínuo, pode gerar câncer. “Essa contaminação é nociva às comunidades que utilizam os igarapés e rios em busca de alimento e lazer”, alertou o pesquisador do instituto, Marcelo de Oliveira Lima.
Com isso, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Seção Pará (OAB-PA), Alberto Antônio Campos, e o conselheiro de Meio Ambiente Ubirajaba Bentes decidiram pedir à Justiça do Pará a intervenção judicial na Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (Semas), com o afastamento do secretário de Meio Ambiente, Thales Belo, e do secretário adjunto de Mineração.

G1