Conselheiro Federal do Cofen visita a sede do Coren-PA

Foto: Divulgação

A visita do conselheiro federal ao regional fortalece os laços profissionais, e também, a luta em prol dos trabalhadores(as) da Enfermagem.

Na manhã desta quinta-feira (13), a presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Pará (Coren-PA), Danielle Cruz, juntamente com o conselheiro-secretário Horácio Bastos, conselheiro Charles Carvalho e o procurador geral Braz Mello receberam o diretor-tesoureiro do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), Gilney Guerra. Durante a visita autarquia federal ao regional de Belém do Pará, os representantes discutiram sobre as ações e programas que o Coren-PA vem desenvolvendo em todo Estado, bem como os trâmites sobre a aprovação do Piso Salarial da Enfermagem que ainda tramita no Supremo Tribunal Federal (STF).
 
De acordo com Danielle Cruz, a visita do representante da autarquia federal ao regional fortalece os laços profissionais, e também, a luta em prol dos trabalhadores(as) da Enfermagem. “Recebemos a visita do conselheiro federal Gilney Guerra, com muita satisfação, o que demonstra o alinhamento deste regional junto ao Cofen, onde ambos seguem atuando sempre juntos pelo fortalecimento e valorização da Enfermagem”, completou.

Após o encontro, Gilney foi convidado para conhecer as instalações da nova sede do conselho, onde o mesmo ponderou de forma positiva a atuação do regional no Estado do Pará. “A gente tem acompanhado a evolução do Coren-PA junto ao Sistema Cofen/Conselhos Regionais de Enfermagem”, disse. 

Durante a visita no novo prédio, Guerra falou da necessidade e da importância de aproximação da autarquia junto aos profissionais e a comunidade. “É uma necessidade do Coren-PA trazer para os profissionais da Enfermagem, de todo o Pará, esse espaço, que é de extrema importância para a categoria. Além dos investimentos, precisamos ressaltar que é um dos papéis do conselho dar proteção à sociedade civil; Fazer a regulamentação do exercício profissional e oferecer aos nossos empregados públicos condições para trabalhar, pois com melhores condições de trabalho, certamente, isso reflete no melhor atendimento ao profissional de Enfermagem, e a gente fica muito feliz em ver essa estrutura que vai ser entregue para a Enfermagem paraense”, destacou. 

Protagonismo

Para o conselheiro federal a região Norte que é considerada a maior do território brasileiro, possui um número relevante de profissionais da Enfermagem do sexo feminino, o que gera um destaque positivo e serve como modelo para os demais estados brasileiros. “A gente entende que essa profissão, que é majoritariamente feminina, e possuir como representante do conselho a gestão de uma mulher, ganha muito destaque, não apenas para a região Amazônica mas para todo o contexto da Enfermagem brasileira”, afirmou.

Sobre a avaliação do Cofen em relação a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o Piso Salarial da Enfermagem, Guerra relatou que toda a categoria foi surpreendida com uma luta de décadas, e que os conselhos que representam esses profissionais, estão ativos na luta para garantir um piso decente e a valorização destes trabalhadores(as). “A gente viu com muita tristeza essa decisão porque foram anos de lutas que foram distorcidos. Até o momento a vitória é parcial, não interpreto como uma derrota parcial, porque nós conseguimos extinguir a palavra “remuneração”, que era algo que trazia muito prejuízo aos profissionais de Enfermagem”, disse.

“A nossa profissão tem muita peculiaridade e precisamos fortalecer a nossa categoria para que ela continue engajada e na luta para que esse piso chegue ao bolso de cada trabalhador(a). A nossa categoria além de ser o pilar da saúde, é a maior categoria da saúde. Eu digo que a Enfermagem é a Construtora do sistema de saúde, em especial o sistema público e único de saúde. Nós somos o elo forte dessa corrente e precisa ser, de fato, valorizada, com salário digno, com carga horária digna e melhores condições de trabalho. A gente tem muito para fazer e vamos lutar até o final”, finalizou Gilney.