Home Blog do Bacana Comitê eleitoral tucano chama-se Centro de Governo

Comitê eleitoral tucano chama-se Centro de Governo

Comitê eleitoral tucano chama-se Centro de Governo

Depois de três anos a frente do Governo e prestes a se desincompatibilizar, deixando o comando do estado para concorrer a um cargo de senador, Simão Jatene empurra para seu sucessor as promessas de campanha que não quis cumprir.

Nesta semana que passou, Jatene inaugurou e instalou um comitê eleitoral tucano que funcionará como um puxadinho do Centro de Convenções, denominado pomposamente de Centro Regional de Governo, representação de governança integrada do Pará na região, nomeando para esta função um indicado de Izabela Jatene, que irá trabalhar como cabo eleitoral da sua candidatura ao Senado e a do seu candidato a deputado federal, o genro Ricardo Jatene.

Durante a campanha eleitoral, o candidato Simão Jatene prometeu publicamente e reafirmou a promessa durante o debate na TV Liberal, que iria descentralizar o governo, aproximando a administração das regiões do Carajás e Tapajós, criando centros regionais de governo, com compensação para calar a boca dos separatista, pelo menos durante o seu mandato.

Os centros regionais de governo foram usados na propaganda tucana, para amenizar os estragos feito por Zenaldo Coutinho, que liderou a campanha contra a separação e criação dos Estado do Carajás e Tapajós. Anunciar que criaria os Centros durante a campanha eleitoral, foi uma estratégia que rendeu votos importantes no processo, que deu a Simão Jatene o terceiro mandato, por uma pequena diferença de votos.

Primeiro ano, nada; segundo ano, nada; terceiro ano, nada; e agora, no final do mês de janeiro, faltando apenas dois meses para sua saída, o Governador anuncia a instalação dos Centros com a nomeação do coordenador.

Os centros regionais instalados em final de governo tem apenas um objetivo, fazer disso um uso eleitoral sem qualquer beneficio ao povo do Pará e as regiões abandonadas. Vamos ver como reagem nas urnas os líderes e o eleitor do Carajás e Tapajós ea esta manobrar eleitoreira de inaugurar comitês de campanha travestidos de descentralização.