Caso Yasmin: médico legista que disparou tiros dentro da lancha é ouvido pela terceira vez pela Polícia Civil

Foto: Reprodução / TV Liberal

O médico legista Euler Cunha prestou o terceiro depoimentos, nesta quinta-feira (13), na Divisão de Homicídios da Polícia Civil em Belém, sobre a morte da influencer digital e estudante de medicina veterinária Yasmin Macêdo.

Em 29 de dezembro ele já foi ouvido pela segunda vez, como suspeito. O médico estava armado e assumiu à polícia ter efetuado dois disparos com a própria arma de dentro da lancha.

O caso segue em investigação e a Polícia Civil prorrogou o inquérito por mais 30 dias. O documento já possui 400 páginas e ao menos 50 depoimentos foram colhidos .Até o momento, nenhum suspeito está preso.

Nesta quinta-feira, Marco Antônio Pina, advogado de Euler Cunha, disse ao final do depoimento na delegacia que o novo depoimento foi solicitação própria para questionar alguns depoimentos que constam no inquérito. Segundo o advogado, pessoas omitiram informações, algumas testemunhas disseram que não ouviram disparos feitos na lancha.

Além de supostas contradições nos depoimentos das testemunhas em relação ao desaparecimento da jovem, ainda há fatos a serem analisados pela polícia para tentar entender se a morte de Yasmin pode ter sido criminosa e não acidental. Também há a expectativa para a realização de uma simulação da noite do afogamento, uma solicitação da família da vítima.

O desaparecimento da influencer ocorreu no dia 12 de dezembro de 2021, quando ela estava com outras 17 pessoas em uma lancha no rio Maguari, em Belém. O corpo foi encontrado na tarde do dia seguinte pelo Corpo de Bombeiros. A capacidade da embarcação era de até 8 pessoas.

Em nota, a PC informou que o inquérito segue sob sigilo e que deve ser concluído dentro do prazo legal. A corporação ainda comunicou que as investigações continuam e que todos os procedimentos cabíveis estão sendo realizados.

Relembre o caso

O desaparecimento da jovem foi próximo a um flutuante usado como restaurante, quando ela estava com os amigos em uma lancha. Ela tinha saído com eles horas antes para um passeio.

A suspeita é que ela tenha desaparecido por volta das 22h30 de 12 de dezembro de 2021. A mãe disse que foi informada pouco após as 23h. O piloto da lancha registrou boletim de ocorrência por volta das 5h da manhã do dia seguinte (13), dizendo que a jovem desapareceu enquanto nadava.

O corpo foi encontrado na tarde do dia 13 de dezembro pelos bombeiros. Os locais onde ela desapareceu e onde o corpo foi localizado ficam distante cerca de 10 minutos da marina, onde o barco fica ancorado, no bairro do Tenoné, em Belém.

“Todos os procedimentos cabíveis estão sendo realizados, inclusive a requisição para o exame necroscópico, que apontará as causas da morte da jovem”, informou a polícia.

Por G1 Pará